04

Oct 2007

Poesia à mãe

Sangue e fogo,
sexo e poder,
medo, pudo, magia,
o coração de minha mãe devorou.

Um dia ofereci o meu coração
noutro ele me foi devolvido,
um dia o coração gritou
e o canto do vento transmitiu as despedidas.

Que possa seu espírito permanecer,
que possa seu poder em mim viver,
que possa eu guardar seu coração.

“Protetor de grande tesouro,
escolhe o poder, a criação: sua vida para mim?
ou escolhe a felicidade e o sucesso a serem esquecidos?”

2 comentários para “Poesia à mãe”

  1. Ulfskald diz:

    Belíssimo soneto. A mãe que tu falas no poema seria Freya? :)

    grande abraço.

  2. pricila de moraes diz:

    sobre tias e mães

Responda

envie um e-mail

powered by WordPress

Post RSS | Comments RSS