27

Jan 2009

Mudanças

Acredito que ainda nesta semana lance o “CaduGarcia.com v2″ ou simplesmente, a versão 2009.

Vai mudar o portfólio, o blog e vou colocar mais conteúdo.

Como vou integrar portfólio, blog e outros materiais no mesmo motor do WordPress 2.7, e quero colocar tudo junto, não sei se vou conseguir manter o endereço do blog (no pior dos casos vai ficar cadugarcia.com/blog ou algo parecido). Também não sei se quem acompanha pelo feed vai ter que se atualizar.

Mas juntar tudo é um estorvo que vem pra me ajudar.

Pra evitar gente perdida nos feeds ou nos endereços podem deixar comentários (preencham o campo de e-mail) que eu aviso quando tudo mudar, ou voltem até o fim da semana. E é claro que vou avisar via facebook e twitter também.

21

Jan 2009

Enquanto isso na Islândia

Sábado comprei uma Piauí com um artigo sobre a economia da Islândia, que, resumindo, quebrou depois do 11 de Setembro com uma “brincadeira” de mal gosto do governo inglês, que colocou a Islândia entre os países com risco terrorista (oi?), e foi um efeito dominó, os três bancos islandeses abriram concordata, a crise piorou ainda mais depois da crise mundial. E cá estamos por estes dias, que serão para sempre lembrados na história daquele país. Está acontecendo pela primeira vez uma manifestação de multidões, coisa que NUNCA aconteceu por lá. O povo está pedindo a renúncia do atual governo, novas eleições e a demissão da presidência do Banco Central.

Não vou explicar com detalhes, eles podem ser acompanhados aqui, aqui ou aqui, ou ainda no artigo da Piauí (para interessados, recomendo a leitura).

Estou seguindo no twitter o @vidanaislandia, @nyirtimar e @egillhardar que estão postando novidades do que acontece por lá. Além de acompanhar notícias pelo alerta do Google News.

E toda vez que penso em algo que acontece na Islândia eu não consigo não lembrar de uma reportagem que li anos atrás, quando um vulcão entrou em erupção e a lava estava indo em direção a uma cidade pequena, os moradores em vez de pegar tudo e evacuar, pegaram mangueiras e começarama jogar água na lava, até a lava endurecer e todo mundo voltar a dormir (era de noite). E acharam aquilo natural.

19

Jan 2009

Nada é Original (via SwissMiss)

Nada é original. Roube de algum lugar que ressone com sua inspiração ou alimente sua imaginação.

Devore filmes antigos, novos filmes, músicas, livros, pinturas, fotografias, poemas, sonhos, conversas aleatórias, arquitetura, pontes, sinais de trânsito, árvores, nuvens, águas, luz e sombras. Selecione só coisas para roubar daquilo que fala diretamente com a sua alma. Se você faz isso, seu trabalho (e roubo) serão autênticos.

Autencidade é de valor inestimável; originalidade é inexistente.

E não se intimide em admitir seu roubo – celebre-o como se sentisse como ele. De qualquer modo, sempre lembre o que Jean-Luc Godard disse: “Não é de onde você pega as coisas – é para onde você as leva.”

Via SwissMiss.

18

Jan 2009

Todo dia que vivo é uma morte

Meu corpo está cansado, minhas mãos tremem. A vida parece esvair.

Escrever me cansa, desejar me atira à cama em prantos.

Lembro-me do dia que não desejei, quando meu coração era uma natureza selvagem, sem amor, sem paixão, fresco e úmido como uma floresta temperada, meus olhos brilhavam inocência.

Ah! Eu vivia e caminhava em direção à plenitude, ao tudo ser, à absoluta felicidade e… sempre dançando, sorrindo.

Mas eu me apaixonei, você tomou de mim o fôlego, invadiu meus sonhos, construiu portões, estradas e cidades nas florestas do meu coração, fez-me perder o rumo, esquecer como ler as estrelas, perder-me no meu próprio caminho.

Ali eu comecei a morrer. A vida não vai em direção à paixão, foge dela, vai às bordas do mundo… e eu morro mais a cada dia, evito as estradas, procuro o céu tentando trazer de volta a selvageria.

Desde o dia em que vivi intensamente caminho para a morte, e a morte é a nova esperança que você me deixou antes de partir.

16

Jan 2009

Kwoon

Essa semana conheci, pelo blog Kapritska, a banda francesa de post-rock Kwoon (veja o myspace), inspirados em sonhos.

Eu me apaixonei. Juntaram meu estilo e tema favoritos!

O primeiro álbum da banda chama Tales and Dreams (Histórias e Sonhos). Descrevem o primeiro clipe como um pai ensinando o filho a sonhar, a música chama I lived on the Moon (eu vivia na lua).

Kwoon veio pra ficar na minha biblioteca. Sigur Rós me passa a sensação de “de volta pra casa”, Kwoon me faz pensar que todo lugar pode ser a minha casa, porque é só fechar os olhos e sentir.

Vejam o vídeo abaixo.

16

Jan 2009

Conto Zen – É mesmo?

Uma linda garota da vila ficou grávida. Seus pais, encolerizados, exigiram saber quem era o pai. Inicialmente resistente a confessar, a ansiosa e embaraçada menina finalmente acusou Hakuin, o mestre Zen o qual todos da vila reverenciavam profundamente por viver uma vida digna. Quando os insultados pais confrontaram Hakuin com a acusação de sua filha, ele simplesmente disse:

“É mesmo?”

Quando a criança nasceu, os pais a levaram para Hakuin, o qual agora era visto como um pária por todos da região. Eles exigiram que ele tomasse conta da criança, uma vez que essa era sua responsabilidade.

“É mesmo?” Hakuin disse calmamente enquanto aceitava a criança.

Por muitos meses ele cuidou carinhosamente da criança até o dia em que a menina não agüentou mais sustentar a mentira e confessou que o pai verdadeiro era um jovem da vila que ela estava tentando proteger.

Os pais imediatamente foram a Hakuin, constrangidos, para ver se ele poderia devolver a guarda do bebê. Com profusas desculpas eles explicaram o que tinha acontecido.

“É mesmo?” disse Hakuin enquanto devolvia a criança.

07

Jan 2009

Da organização e das metas de 2009

Clichê falar sobre isso agora, clichê dizer que perdi a lista das metas do ano passado em algum momento e nem sei se cheguei a cumprir metade delas.

Mas este ano eu fiz diferente, não listei coisas a conquistar, tracei caminhos em que avançar. As prospecções existem, mas não estão na lista de metas. E das metas, só planejo seguir na linha que já seguia, pensei uma forma de acelerar os processos apenas.

Em 2009:

Objetivo e meio primeiro: Entender como funcionam meus mecanismos e a rotina do meu corpo e tirar proveito disso para desenvolver um vida mais “rentável”- que é aproveitar mais minha vida, dormir quando meu corpo está cansado, criar quando eu tenho mais criatividade e outras coisas nos momentos dos “fluxos” do meu humor, em outras palavras: colocar a minha rotina seguindo o fluxo da rotina do meu corpo e do meu espírito não tentar adaptar a rotina natural do corpo a alguma adotada criada por alguém X.

Pra isso eu tenho que renovar rotina, roda de amigos, lugares frequentados, músicas, leituras, sempre pensando no que é melhor para mim. A mania de “jesus cristo” passou e eu tenho que colocar definitivamente na minha cabeça que não sou obrigado a ajudar todo mundo.

Dos projetos a desenvolver, dos lugares a ir, pessoas a conhecer, conquistas e finanças, isso é pessoal e privado este ano. =)

Desde ano passado estou ajustando minha rotina, hora pra dormir, tempo de sono com celular desligado. Também metas semanais e mensais. Evito pensar no que não é necessário no momento, se achar que tenho que pensar nisso mais tarde escrevo na parede e deixo pra depois. Descanso quando satura e troco de atividade.

Criei uma agenda, estou fazendo por escrito o que andava fazendo no Google Calendar, além de agora planejar. Voltei a controlar despesas.

Mas antes que pareça otimismo demais, já venho testando isso há quase um mês e vem dando certo. =)

03

Jan 2009

Dilema

Ego nunca pode refletir o Eu. Então ninguém é autêntico como pensa que é.
Autencidade é não ser.

30

Dec 2008

Retrospectiva 2008

Janeiro

Só o otimismo, vontade de crescer na MZ, sonhos pra um projeto que parecia que tinha tudo pra dar certo.

Fevereiro

Bônus na MZ, estava entre os colaboradores com maior desempenho no semestre, meu departamento bombando e eu era responsável pelas aprsentações, minha vida era um sonho.

Março

Caí da cama, comecei o mês me apaixonando por quem não devia, mas mesmo assim eu tentei. Tentei por três meses. Começaram as frustações na MZ, problemas de comunicação, virei noites trabalhando, não recebi nada além de críticas… queria férias, não aguentava mais, e não consegui, meu desempenho caiu.

Abril

Meu mundo de perfeição desfalecia, amigos eu já tinha bem poucos, quem era mais próximo começou a me confundir mais, criticando como eu era, que eu não era mais o mesmo… Minha paixonite continuava frustada, eu continuava ali, mais problemas no trabalho.

Maio

Meu mundo caiu. O emprego ganhou o status de insuportável na minha vida, consegui “férias” de três dias emendadas com algum feriado, fui pra Curitiba, tomei dois canos de três pessoas que eu conhecia na cidade, minha gastrite fez meu estômago explodir. Decidi pedir demissão, mas também decidi esperar mais.

Junho

Desisti da minha paixão de março. E em junho fica o que eu considero o meu “ano novo”, a minha época de repensar a vida. E eu repensei. Passei a sair menos com quem me fazia sentir mal com o que eu era naquele momento, fiz novos amigos, decidi frequentar um círculo que meus entãoamigos sempre criticavam e me surpreendi, conheci muita gente nova, conheci um mundo novo. Eu vi cor na vida de novo. Reencontrei antigos amigos.

Julho

Pedi demissão, ganhei o bônus de novo e foi decepcionante. O elevador caiu uns quatro andares comigo dentro, foi bem traumatizante. Foi o começo de um relacionamento. Viajei. Descansei. Gastei fortunas com remédios contra gastrite.

Agosto

Mais fortuna com gastrite. Foi o mês que mais fui pro cinema, foi o mês que mais saí. Novos amigos,nova agenda, nova vida, tudo parecia perfeito e lindo. E eu descansei. Minha paixonice de outono voltou como amizade.

Setembro

O prenúncio de uma tempestade. “Vomitei” coisas engolidas há muito tempo, o relacionamento virou namoro, algumas amizades se confundiram. Eu fiquei confuso… Foi o começo da primavera, eu comecei a tentar ser livre.

Outubro

Torres caíram. Namoro terminou. O descanso acabou, voltei a trabalhar, mas em casa. Amizades fortes se abalaram, talvez eu tenha me equivocado. Aprendi lições inestimáveis. Lancei o Agenda Pagã.

Novembro

Novos amigos. Ritual. Celebração. Os laços se afrouxaram, o espaço cresceu, eu tive espaço pra abrir as minhas asas e meus espinhos. Tive mais decepções, por elas e por elas serem confundidas com raiva, fui mal interpretado, fiquei chateado.

Dezembro

Tudo ficou óbvio. Novos trabalhos, novas perspectivas. Novos círculos de amigos. Saudade de alguns antigos. Últimos dias do ano sozinho em casa, está sendo ótimo pra mim.

Geral

Esse ano foi dolorido, cheio de traumas, de decepções. Mas a isso sempre se seguiu felicidade, superação e um gostinho de liberdade. Foi um ano pra eu treinar minha ousadia, pra eu experimentar da minha essência e viver como eu gosto, sem me preocupar em agradar os outros, sem viver em função dos outros. Meu 2008 se resumiu na primavera… mas eu ainda quero ver meu verão, ainda quero saber o que me aguarda no outono.

Das minhas metas segui quase nenhuma. Por isso desde a primavera eu tenho metas (ou perspectivas) por estações.

Se eu tivesse que escolher uma música pra 2008 seria Declare Independance, da Björk. (eu me lembro do show dela ainda, lembro dela encerrando com essa música)

Ou a Journey to the Underworld, de Sigur Rós, em trilha para o filme islandês Angels of the Universe.

envie um e-mail

powered by WordPress

Post RSS | Comments RSS